O Urubu e o Pavão

Acho que a onda mais chata e hipócrita dos últimos tempos tem sido a onda do “politicamente correto”. Pombas!!! Ou uma coisa é certa, ou ela é errada o que sai disso é balela. Então, caro leitor (a), com a sua devida licença,  eu posto hoje uma historia, achada na internet,  que é sem duvida politicamente INCORRETA mas muito engraçada!
 Porque você a de convir comigo...  Uma vida Extraordinária DE FATO,  nem sempre vai ser politicamente correta, mas certamente vai ter graça, sinceridade e MUITO SENSO DE HUMOR.
 
O Urubu e o Pavão

Tem um conto japonês milenar que é mais ou menos assim:

Em uma planície, viviam um Urubu e um Pavão.

Certo dia, o Pavão refletiu:
- Sou a ave mais bonita do mundo animal, tenho uma plumagem colorida e
exuberante, porém nem voar eu posso, de modo a mostrar minha beleza.
Feliz é o Urubu que é livre para voar para onde o vento o levar.

O Urubu, por sua vez, também refletia no alto de uma árvore:
- Que infeliz ave sou eu, a mais feia de todo o reino animal e ainda
tenho que voar e ser visto por todos, quem me dera ser belo e vistoso
tal qual aquele Pavão.

Foi quando ambas as aves tiveram uma brilhante idéia em comum e se
juntaram para discorrer sobre ela: um cruzamento entre eles seria ótimo
para ambos, gerando um descendente que voasse como o Urubu e tivesse a
graciosidade de um Pavão.

Então cruzaram... e daí nasceu o Peru:
QUE É FEIO PRA CACETE E NÃO VOA!
Moral da história:

Se a coisa tá ruim, não inventa!!!

Gambiarra só dá merda!!!

Outubro, mês de prevenção ao Bullying


Nos EUA o mês de outubro é o mês de prevenção à intimidação... Ou se você preferir "prevenção ao bullying".

As vezes penso que aqui no Brasil nós adotamos a palavrinha bonita "bullying" mas realmente não temos nos conscientizado em diminuir essa pratica nos ambientes sociais... Somos um povo alegre e extrovertido. Faz parte disso fazer brincadeiras e tirar sarro... Mas em tudo ha um limite. Não sei se é necessário instituir no Brasil um mês anti-Bullying. Em tese, bastaria um pouco de empatia e boa educação para coibir essa pratica horrível. Na pratica talvez só a coação aos agressores faça efeito.

O vídeo a seguir mostra um digno exemplo de educação e boa postura de uma pessoa que sofreu bullying. Se eu fosse o seu agressor eu realmente estaria muito envergonhada nesse momento.

O que eu realmente não entendo é o porque as pessoas obesas são normalmente atacadas com tanta agressividade. Quando não nas palavras nos olhares. Se ser obeso é um maleficio somente a quem é gordo por que as outras pessoas se incomodam tanto?

O que as pessoas ainda não se deram conta é que existe uma doença muito mais grave do que a obesidade. O PRECONCEITO!

É nessa hora que quem sofre preconceito precisa ter a dignidade de saber exatamente quem é, qual o seu papel no mundo, saber os seus direitos e responsabilidades e assumi-los com a mesma classe que fez essa repórter.

Pra quem não entende inglês eu vou resumir o que aconteceu e o que ela fala no vídeo.

Ela recebeu um e-mail de uma pessoa dizendo que ela tem uma forma inadequada para estar na mídia por estar a anos acima do peso. Em resposta a apresentadora, além de deixar claro que o remetente da ofensa não a conhecia pessoal e/ou profissionalmente para dizer se ela era adequada ou não ao o que quer que fosse, ela salientou que esse mês nos EUA é o mês anti-bullying e que devemos ficar atentos as proporções que nossos comportamentos estão tomando. Ela alertou ao seu agressor que da forma que ele (a) a chamou de gorda, seus filhos poderiam estar a fazer o mesmo em suas escolas pois as crianças agem de acordo com o exemplo dado por seus pais. A apresentadora do telejornal da CBS alerta ainda para o fato da internet estar se tornando uma arma e com isso as escolas um campo de batalha.

Parabéns a jornalista Jennifer Livingston, seu exemplo foi SENSACIONAL!!

Minhas fotos e pensamentos: Soberania mensurável?


As bandeiras da União Europeia e de Veneza... Entre as duas a bandeira da Itália...
O legal dessa foto é o fato da bandeira da Itália estar escondida. A foto não foi proposital no sentido de esconder a bandeira do pais, mas foi proposital no sentido de mostrar o quanto a União Europeia é importante para os Países membros. Se num pais como o Brasil, EUA e qualquer outro, que não esta dentro de uma organização como a UE, vemos as Bandeiras do Pais, do Estado e quando muito da Cidade... O Fato de vermos a bandeira da UE em todos os países membros significa que eles são menos soberanos que nós? Porque?... Relações Internacionais na veia! Coisas que você vê e sente de uma maneira única quando esta  "IN LOCO". Apesar de essencial, só a sala de aula não é o bastante. Você precisa ir, ver e sentir na pele coisas fora do seu país para melhorar a sua compreensão do ambiente internacional.

Vamos celebrar!!!!


Ok, eu admito, me rendo, dou a mão à palmatória...  PRECISO SER MAIS OTIMISTA. Mas sem deixar de ser realista LÓGICO!!!
Cheguei em casa e achei minha farmácia muito bem equipada. Haviam remédios para gripe e resfriado, afinal, nunca se sabe quando alguém ficará doente.
Remédios para dores de cabeça, contusão, alergia, band-ids... Afinal, infelizmente, acidentes acontecem e alguém pode precisar.
Mas faltou uma coisa importante... Hoje era dia de comemoração e faltou uma Moët & Chandon no meu refrigerador!
Ok, sejamos mais razoáveis, Moët & Chandom é algo fora da minha realidade devido ao preço. Porém um bom Espumante, não seria exagero.
Nem que fosse uma simples uma Cidra, só mesmo pelo ato da comemoração, aquele momento de estourar a champanhe sabe? Botar a família pra gritar EEEEEEBAAAAA UHULLLLL e escutar o PUFT da rolha pulando da garrafa como fogos de artificio dentro de casa é muito legal.
Mesmo assim comemoramos a atual vitória. A  familia gritou ebaaaa, uhulll e foi muito legal. No entanto, o que me incomodou foi o fato de eu ter percebido que eu sempre estou preparada para o pior, mas o melhor me pega de surpresa até quando ele não deveria ser porque era exatamente o que eu estava buscando.
Agora eu pergunto... "Quantos de nós temos agido assim?"
Será que não deveríamos aceitar que a vida é feita de bons e maus momentos e que estar preparados para ambos é o mínimo que podemos fazer para tornar a nossa vida, NO MINIMO, um pouco melhor?
Por hora eu só digo "OBRIGADA MEU DEUS!!! VALEU PAPAI DO CÉU!!!! You're rock!!!".
Amanhã eu compro a minha champanhe, espumante, cidra... WHATEVEER! Hoje eu comemoro com suco, agua, ou limonada... não importa. O importante agora é CO-ME-MO-RAR!!!
 CHEERS!

Medo de ser feliz?

As vezes me ocorre que o ser humano é esquisito. Passa um perrengue desgraçado e chora. Quando a “tempestade” passa e tudo fica bem, começa a ficar com medo da felicidade e acha que tudo é bom de mais pra ser verdade.
Quer saber? O fato é que, se pararmos para pensa provavelmente chegaremos a conclusão de que na vida sempre teremos bons e maus momentos. Sim, parece clichê, e talvez até seja. Mas quer saber? Dane-se! Esse não é o ponto. O ponto e raciocinar, racionalizar o que, pra mim, torna o ser humano, (quero dizer eu mesma) algo estranho. 
Então chego a conclusão de  que a melhor coisa é parar se ser boba e aproveitar os momentos bons, e até os maus, por que tudo passa, mas os frutos da nossa atitude diante da vida nos acompanham pra sempre. A experiência fica, e no final das contas são as somas desses momentos (bons E ruins) que irão determinar se a vida valeu a pena,  ou não.
CANSEI DE ME PERGUNTAR OS PORQUES!!! Embora eles existam... EU CANSEI E NÃO QUERO MAIS SABER!
Agora eu só tenho uma meta na vida... VIVER PRA FAZER VALER A PENA! Não importa o que venha pela frente, no final só quero que a minha soma seja positiva!   

BRASIL, UMA ESPERANÇA, MUITO ALÉM DE MICHEL TELÓ!

Gente a abaixo segue um dos melhores textos que eu ja li falando sobre a vida a bordo de um navio, e sobre qual a percepção dos estrangeiros quanto ao Brasil e ao povo brasileiro.  Esse texto foi escrito pelo meu amigo Michel ( nas fotos). Assim como eu ele é tripulante do navio Splendour of The Seas. Com o Michel não deu um titulo ao texto tomei a liberdade de faze-lo.  Mas o legal mesmo são as experiencias desse meu amigo. #ADOOOORO

BRASIL, UMA ESPERANÇA, MUITO ALÉM DE MICHEL TELÓ!

Eu preciso falar sobre isso e saber a opinião das pessoas. Tenho trabalhado viajando pelo mundo em navios de cruzeiro já a quase um ano e estou surpreso com o reconhecimento que o Brasil tem no exterior. É sobre esse reconhecimento que gostaria de compartilhar e tentar entender o que está acontecendo com a nossa cultura.   Toda vez que um hóspede me pergunta de onde eu sou eu digo orgulhosamente: “I’m from Brazil!”. Eles abrem um largo sorriso e comentam que a nossa economia tem crescido e por isso estamos mais visíveis no cenário internacional. Sinto-me muito orgulhoso quando isso acontece. Vez ou outra vejo um gringo com a camisa de futebol do Brasil em plena Europa. Sempre pergunto se eles são Brasileiros só pra ouvi-los dizer que não, mas que eles amam o melhor futebol do mundo.  Outro fenômeno acontece com a música. “Chorando se foi...”, a lambada da Kaoma (Putz... vocês não imaginam o quanto eu já dancei ao som desta música), sempre é tocada nas baladas dos navios para a tripulação e também para os hóspedes, e quem toca geralmente são Filipinos, Canadenses, Turcos e muitas outras nacionalidades. Tem a versão original, a mixada e até uma onde os gringos tentam cantar em Português (o que soa muito engraçado, mas tudo bem!).   
Um dia desses, por causa desse português carregado de sotaque, estava no Teatro servindo drinks e algo me pareceu muito familiar, uma música que parecia que eu já tinha ouvido antes. Prestei um pouco mais de atenção e com alguma dificuldade percebi que o cantor (britânico) literalmente arranhava o português. No palco, os cantores a bailarinos da Royal Caribean, muito conhecidos pelo alto nível de produção em shows de entretenimento, comparados muitas vezes à Broadway, entoavam no mais alto nível de produção a “Dança da manivela”, música de uma dessas nossas famosas bandas de Axé Music. Eu realmente fiquei pasmado. Como a “cultura brasileira” esta invadindo a cultura do mundo. Talvez ela esteja influenciando o mundo como a língua inglesa fez e faz até hoje com várias culturas no mundo, inclusive a nossa! 
Em outra ocasião, assistindo a programação do navio, parei num canal polonês (ou uma língua qualquer parecida com essa), não entendi nada, mas e sonoridade da língua é curiosa, então estava tentando entender alguma coisa. Ouvi algumas palavras em inglês, outras em italiano, até palavras que lembravam o português. Então, de repente, para a minha completa e indignada surpresa, uma chamada daqueles programas das 10 mais Top Music, como no Brasil, que pedia pra você ligar e votar na sua música preferida (apesar da língua, consegui entender pelo contexto), quando na terceira música caiu sobre mim um temor que me senti arrebatado por um furação enlouquecido: “Moça, moça, assim você me mata...” e o locutor anunciou o nome da música e do cantor, sem sotaque polonês , com um português quase brasileiro. Acredito que vocês não conseguem imaginar como eu me senti.  Se antes eu sabia, agora eu tenho plena convicção do poder da mídia e que poder “filho da P...” esse, hein? (com o perdão da palavra). Contudo, não sou hipócrita, não curto esse tipo de música, mas para o que ela se propõe tudo bem, na balada, eu danço e a aproveito o momento, mas só isso, né? Tenho muitos amigos no navio, de várias nacionalidades, muitos hispânicos, anglo-saxônicos, lusitanos, romenos e todos, sem exceção, cantam Michel Teló, dançam e me pedem pra ensina-los a dança e traduzir a letra dessa bendita música, algo como: “ Girl, Girl, like this you kill me/ Ai! Ai! If I take you, Ai! Ai! If I take you.”  
 Agora me respondam: O que esta acontecendo com a nossa cultura? Porque os gringos dão atenção pra esse tipo de música? Ou melhor, como esse tipo de música ganha tamanha proporção no mundo? Fica aqui meu protesto. E pra finalizar, quando estava terminado de escrever esse texto meu colega de quarto chegou e colocou num canal italiano de música, e pra amenizar minha indignação eles tocaram Shimbalaiê da Maria Gadu (bem melhor, né?), pareceu algo me dizendo: Calma Michael, ainda há esperança!

A Verdadeira Boa Sorte...

Durante meus 180 dias de mar eu conheci pessoas  do mundo inteiro. Só no navio onde eu fui tripulante havia pessoas de 49 países diferentes. Não tenho preferencia por essa ou aquela nacionalidade, mas nunca vou esquecer o quanto as pessoas da Ucrânia e Lituânia são amáveis ou de quanto os romenos conseguem ser tão bonitos quanto enigmáticos.  
Seria a excentricidade romena o motivo da lenda do conde Drácula dizer ser ele um romeno? Não sei.  Só sei que eu consegui a proeza de me tornar amiga de um dos romenos com um dos piores gênios do navio. Acho que não tinha um cruzeiro que ele não brigasse com o seu auxiliar. Já comigo ele era um fofo. No final do cruzeiro em que trabalhamos juntos eu o agradeci por toda a sua gentileza comigo e desejei –lhe boa sorte. Foi só nesse momento que ele foi um pouquinho rude me dizendo. “Baby, I do not believe in Lucky. I do my own lucky”! (Neném eu não acredito em sorte. Eu faço a minha própria sorte)
Bom, considerando o histórico do cidadão eu ainda estava no lucro. Pois a reposta seca era característica dele.  Tanto que após isso ele também me agradeceu, nos despedimos e fomos cada um para as suas respectivas cabine dormir. Afinal já era perto da uma hora da manha e no outro dia se eu não acordasse cedo pra trabalhar, acordaria cedo pra cuidar da vida, indo à lavanderia, arrumando a cabine ou mesmo passeando por alguma cidade onde o navio fosse aportar no dia seguinte naquela bela região do mediterrâneo.
A resposta do meu amigo romeno não me deixou chateada, principalmente porque eu entendi que ele não fez para me ofender. Ele simplesmente expressou algo em que ele acreditava. Ele acreditava em sua capacidade de promover sua fortuna. O cara era praticamente, um  *Thomas Jeffeson...
Bom, o que ele era ou deixava de ser não foi o que passou a me preocupar, e sim o que eu estava fazendo naquele lugar.  Até então eu era alguém que tinha tido a sorte e a graça de Deus de ter sido aprovada num processo de seleção pra trabalhar num navio e obter a minha desejada experiência internacional. Até hoje eu não nego a graça de Deus, já a sorte... Bem essa eu comecei a considerar que não era coisa do acaso.
Revi cada etapa do processo que me levou aquele lugar e descobri que, com a permissão de Deus eu também havia feito a minha própria sorte. A questão era, qual sorte então eu faria pra mim dali por diante?
Engraçado , que apesar desse “insight” que relato nesse texto, até hoje, seis meses depois de ter voltado pra casa,  eu não havia me tocado da necessidade de fazer a minha própria sorte e dos meus próprios exemplos de vida onde eu fiz a minha própria “fortuna”.
Pra muitos tanto a afirmação do meu amigo, foi arrogante. Pra mim, era nada mais nada menos do que autoconfiança, ou a condição “sine qua non” para obtenção do sucesso. O que me faz chegar a conclusão de que pouco importa o que as pessoas pensam sobre nós, importante é  o que nós pensamos sobre nós mesmos. Não desconsidero a necessidade da fé em Deus, mas a grande verdade é que se tivermos fé em Deus, mas, duvida sobre nós mesmos, a coisa também não vai funcionar.
Sobre o meu amigo romeno... Bom, me lembro de tê-lo abraçado ao  me despedir, quando fui embora do navio e, embora eu tivesse dito a todos que ficaria só um período de alguns meses fora, ele  me olhou nos olhos e disse:  “Você não ira voltar mais, não é mesmo?”
Sorri um sorriso amarelo de quem havia sido desmascarada  e respondi: “Chegou a minha hora de fazer a minha própria sorte.”  Ao que ele respondeu.. “Good Girl! That’s the true good Luck!!!” (Boa garota! Esta é a verdadeira boa sorte)


“Eu acredito demais na sorte. E tenho constatado que, quanto mais duro eu trabalho, mais sorte eu tenho.” *Frase de Thomas Jefferson

DIA F...

Hoje é um dia F.
F de FELIZ e feliz porque hoje é SEXTA - FEIRA, que em inglês é FRIDAY. Por isso nada melhor do que celebrar esse dia tão esperado com bom humor e animação.
Então,  nessa sexta-feira, o Blog Myle tem uma piadinha e na sequencia um video bem legal da Katy Perry. Qual musica? Adivinha... LAST FRIDAY NIGHT!!! (of course)
UM OTIMO FDS PRA TODOS, e não perca...  Na proxima sexta (dia 10 de fevereiro) vou postar a receita de um delicioso e refrescante drink que eu aprendi a fazer nos meus dias de mar...

LIÇÃO DE INGLÊS...

- Classe, hoje eu quero que vocês pensem palavras em inglês que usamos sem traduzir e façam mímica para que seus colegas adivinhem a palavra que pensaram, ok?.. (sugere a professora)
Julinha foi a primeira. Andando como se olhasse vitrines e segurasse sacolas, arrancou da classe um sonoro "SHOPPING ...CENTER!!!"
- Muito bem, Julinha!.. (diz a professora)
Carlinhos abocanha um lanche imaginário e novamente a classe responde.."HAMBURGER!!!"
- Muito bem, Carlinhos!.. (elogia a professora)
Joãozinho, visivelmente animado, pega seu livro e acerta em cheio o rosto do colega sentado ao lado... A classe surpresa, olha sem entender, enquanto a professora irritada pergunta ..
- O que significa isso, Joãozinho???
E ele com um sorrisinho amarelo...
- FACEBOOK!


rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Da pra entender?

Amigos, sei que o texto abaixo é bem “batido”. Mas sei também que é um texto que normalmente vai de encontro à pessoas que, por mais que vivam pra cuidar da sua própria vida, da melhor forma possível,  sempre encontram alguém desagradável o suficiente pra se incomodar com isso.
Por isso, nesse domingo, os convido a fazer algo mais do que refletir sobre o texto. Convido você, querido leitor (a),  a fazer a oração que esta no comentários finais. Por que às vezes nós não sabemos o que dizemos, mas certamente Deus sabe o que faz.

A cobra e o vagalume
(Autor desconhecido)

 Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vagalume que só vivia para brilhar.
 Ele fugia rápido com medo da feroz predadora e a cobra nem pensava em desistir.
 Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada...
 No terceiro dia, já sem forças o vagalume parou e disse à cobra:
- Posso fazer três perguntas ?
- Não costumo abrir esse precedente para ninguém mas já que vou te comer mesmo, pode perguntar...
- Pertenço a sua cadeia alimentar ?
- Não.
- Te fiz alguma coisa ?
- Não.
- Então por que você quer me comer ?
- PORQUE NÃO SUPORTO VER VOCÊ BRILHAR...

Se você se identifica com o personagem do vagalume, faça apenas uma pequena oração a Deus dizendo.:
 “ Senhor põe me a salvo das pessoas que querem o meu mal e, principalmente, me põe a salvo de toda e qualquer armadilha preparada pra mim.”
Com isso, espero que Deus traga paz ao nosso coração e justiça a nossa vida, pois eu acredito que não é fácil ser o vagalume da história por mais bonito que pareça ser ter luz própria.
Um excelente domingo pra todos nós e que essa semana seja uma semana repleta de vitória pra gente.
Um grande beijo e até mais.:)

PONTO FINAL

Hoje eu lembrei de alguém que um dia me magoou e pensei, por quê? Então, de repente me ocorreu que eu poderia ter ferido aquela pessoa também. E se isso aconteceu, sua dor deve ter sido tão significante quanto a minha.
Se eu tivesse a certeza dessa minha suposição, certamente eu pediria perdão. Embora, pensando bem, a verdade é que agora, um pedido de perdão, a minha conscientização ou qualquer outro ato meu  seria ineficiente em apagar a dor que eu provoquei. Da mesma forma, hoje já não há mais nada a ser feito que possa apagar a dor que eu senti quando ele TAMBÉM me magoou.
Então, como num jogo de soma zero,  só nos resta continuar seguindo em frente, cada um para o seu próprio lado, cada um com a sua propria vida e destino. O máximo que podemos fazer é pedir que Deus descanse o nosso coração em paz.
Ou trocando em miudos, essa história ja deu o que tinha que dar.
Tudo de bom pra “nóis” dois e, enfim, PONTO FINAL.

Postagens populares

conteúdo protegido

myfreecopyright.com registered & protected

seguidores